2013-2014 / FAPESP

A principal motivação do projeto Agregação de dados censitários em uma grade regular para análise da distribuição e de características da população - o caso de São Paulo, 2010 foi aplicar um método de agregação de dados censitários para representação espacial dos resultados do Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2010. Ao testar a metodologia para o estado de São Paulo, será gerado um Sistema de Informações Geográficas (SIG) com variáveis de ampla utilização em análises desde a perspectiva intramunicipal até a estadual. As coordenadas e os endereços dos domicílios visitados pelo IBGE constituem a base para a agregação em grade regular. O tamanho das células será otimizado por algoritmo que levará em conta critérios de sigilo do IBGE e a distribuição dos domicílios em todo o estado.

A grade por agregação apresenta vantagens com relação à representação dos dados censitários em unidades administrativas e em setores censitários. Além disso, a grade por agregação é mais fiel à real distribuição dos dados do que as grades geradas por técnicas de desagregação. A proposta inclui a aplicação de técnicas de estatística espacial para estimar o grau de concentração ou dispersão dos indicadores criados com base nos dados do censo, de tal modo a verificar padrões estatisticamente significantes de agrupamento" ou de dispersão das características demográficas. Além do desenvolvimento da metodologia e da própria grade otimizada para análise dos dados de todo o estado de São Paulo, este projeto disponibilizará seus resultados na forma de mapas impressos em grande formato e através de um servidor de mapas conectado à internet para que os usuários possam, remotamente, gerar seus próprios mapas com base no SIG criado..

 2011 - 2013 / CNPq

O Projeto Construção de grade ótima para integração de dados espaciais e demográficos em estudos em população e ambiente na Amazônia buscou 1) desenvolver uma grade ótima para a distribuição das variáveis do Universo do Censo Demográfico de 2010 para a Amazônia Legal Brasileira a partir de algorítimo de agregação de residências que permita distribuir a população no espaço em uma grade regular cujas células sejam da menor área possível respeitando-se as regras de sigilo; 2) Identificar espacialmente as relações entre a i) distribuição de vetores de ocupação da população (i.e. rodovias, hidrografia, projetos de colonização) e de barreiras a ocupação (i.e Ucs e TIs) comumente utilizados em estudos na Amazônia, e ii) a distribuição da população.

Os dados foram integrados em um Sistema de Informações Geográficas, o qual é a base para o desenvolvimento do algorítimo, definição e testes das grades. O mapa detalhado da distribuição da população da Amazônia, com resolução bastante superior ao que se encontra atualmente, permite melhor entendimento das relações entre vetores de ocupação / desocupação da Amazônia, da distribuição e de características básicas da população. O método permite gerar grades otimizadas, ou seja, que minimizam o número de células sem informação. O desenvolvimento dessa técnica inédita no Brasil para elaboração des grades estatísticas a partir da agregação de dados censitários originalmente por domicílios é uma aplicação particularmente importante para estudos de População e Ambiente, ao permitir melhor aderência dos dados demográficos às unidades territoriais geralmente utilizadas em estudos desse tipo. A técnica também tem aplicação ampla para estudos da Demografia sobre todo o país. 

2014 -  FAPESP

O projeto dá continuidade ao projeto temático Observatório das Migrações em São Paulo (Núcleo de Estudos de População - UNICAMP), com apoio da FAPESP (processo número 2009/06502-2) de 2009 a 2013. Nesta segunda fase da pesquisa (2014-2018), a problemática do Observatório das Migrações em São Paulo emerge a partir da necessidade de aprofundar o conhecimento teórico, metodológico e empírico acerca das configurações e das especificidades que os processos migratórios internos e internacionais assumem em diferentes espaços do território paulista na 'era da mobilidade'. O objetivo principal deste projeto é conhecer e analisar as transformações nos processos migratórios nacionais e nas migrações internacionais para, de e no Estado de São Paulo a partir das diversificadas modalidades migratórias. Em uma perspectiva interinstitucional e interdisciplinar, o projeto incorpora pesquisadores de diversas formações acadêmicas que dialogam com o fenômeno migratório. Do ponto de vista das competências institucionais-acadêmicas, aglutina pesquisadores de distintas instituições de ensino superior e pesquisa do Estado de São Paulo (UNICAMP- NEPO/CEPAGRI/IFCH/FCA), UFABC, Fundação Carlos Chagas, Museu do Café e Museu da Imigração).

http://www.bv.fapesp.br/pt/auxilios/87062/observatorio-das-migracoes-em-sao-paulo-migracoes-internas-e-internacionais-contemporaneas-no-estado/

2014-17 / CNPq

Tem por objetivo identificar padrões de distribuição e de características da população residente nas unidades de conservação federais na Amazônia Legal Brasileira (UC), entre 1991 e 2010. Busca-se verificar, ao longo do tempo, como as restrições ao uso da terra nas UC influenciam a permanência de residentes - sobretudo jovens, mulheres e idosos - e acabam por definir padrões de ocupação distintos dos existentes fora das unidades. Em um Sistema de Informações Geográficas (SIG), uma grade regular com dimensões de células otimizadas será utilizada para dispor os dados dos Censos Demográficos de 1991, 2000 e 2010 espacialmente. O tamanho da célula será definido em conformidade com a distribuição dos domicílios recenseados em 2010, de tal modo a minimizar a área de cada unidade espacial (célula) e minimizar o número de células sem informação tendo em vista as regras de sigilo do IBGE. Será adotado método híbrido para atribuir os dados do Censo para as células correspondentes. A abordagem de agregação baseada na localização dos domicílios visitados pelo IBGE no Censo 2010 será utilizada em boa parte dos setores censitários rurais. Nos casos em que os dados não forem adequados para a aplicação da técnica de agregação serão utilizados técnicas de desagregação como ponderação areal e métodos dasimétricos com o suporte de outras informações como referência para o cálculo da distribuição da população.