A+ A A-

"A Embraer e o risco de downgrade tecnológico", confira artigo do Prof. Marcos Barbieri para Valor Econômico

Embraer KC 390 01

O KC-390 é o maior avião já desenvolvido pela Embraer (fonte da imagem: UOL)

 

 Quais os riscos da venda da Embraer, empresa brasileira do setor aeroespacial e de defesa, para a multinacional americana Boeing?

Confira artigo do Prof. Marcos José Barbieri Ferreira, docente de economia nos cursos de Administração e Administração Pública, escrito em parceria com professor do Instituto de Economia da Unicamp e publicado originalmente no Jornal Valor Econômico na segunda-feira desta semana (30/07). 

 

"Há o risco que a Embraer torne-se somente uma parte da atividade produtiva e comercial da Boeing e, cada vez menos, desenvolva as atividades inovativas. Este risco é corroborado pela carência de profissionais que a Boeing possui em sua área de desenvolvimento, indicando que há um grande interesse em absorver a capacidade em engenharia da Embraer.

Neste contexto, a Embraer se manterá eficiente como empresa de base produtiva e comercial, mas com reduzidas atividades tecnológicas. Além da crescente dependência de transferência de tecnologias de produtos e processos desenvolvidas no exterior, a Embraer terá uma inserção subordinada nas cadeias de produção e fornecimento da Boeing, com a consequente ampliação do conteúdo importado, o que terá impactos negativos para a cadeia de fornecedores domésticos e a geração de empregos. Em síntese, a venda é um ótimo negócio para a Boeing, mas um retrocesso para a Embraer e o país."

Confira o artigo completo neste link