A+ A A-

Aula aberta sobre mulheres revolucionárias e desigualdades étnico-raciais, dia 30/11

O evento “Aula expressão: resistir é uma arte” marca o encerramento da disciplina “Sistemas de Proteção Social” do curso de Administração Pública, sob responsabilidade da Professora Juliana Leite.  No dia 30 de novembro, às 19h30, haverá uma discussão sobre as mulheres revolucionárias e as desigualdades étnico-raciais na história do Brasil, e uma oficina de Abayomis (bonecas de pano que as mulheres negras faziam para seus filhos nos navios negreiros), que ocorre no terraço da faculdade e é aberta a todos os interessados. 
Juliana explica que a disciplina explorou, ao longo do semestre, "as contradições do sistema capitalista e seus efeitos perversos nas diferentes sociedades, e a maneira como o Estado capitalista se comporta diante delas, buscando 'abrandar' os abismos sociais. Discutiu-se também a possibilidade de reinvenção da nossa relação com o Estado, na busca por caminhos mais autônomos e potentes, que quebrem com o padrão paternalista e clientelista vigentes". 
"A proposta da Aula-Expressão é também questionar os modelos padrões de aula, nos quais normalmente se reproduz a “transferência de conhecimento” do professor para o aluno. Queremos experimentar novas formas de estar e despertar afetos no processo de aprendizado. De fato, descobrir a alegria e a inventividade nos processos pedagógicos. Nesta perspectiva, a aula-expressão ocorre no terraço da faculdade, e é aberta a todos os que quiserem participar, não só os alunos da disciplina", afirma a professora. 
No ano de 2016, a Aula-Expressão contou com a participação de Jéssica Balbino, que produziu o documentário 'Pelas Margens', sobre as poetas da literatura periférica e com o show de Jenny Zion, rapper de Campinas, que apresentou suas composições.

 

IMG 20171113 170942 700